2 de março de 2024

MEGABYTE

Notícias, Dicas e Tutoriais do Mundo da Tecnologia.

Guerra entre Ucrânia e Rússia também ocorre de forma online; entenda

Leia em 2 minutos
Guerra entre Ucrânia e Rússia também ocorre de forma online; entenda


A guerra que ocorre na Ásia, travada entre Ucrânia e Rússia, começou após um confronto armado a partir da invasão russa ao território ucraniano. Neste mês, completa-se um ano do início da guerra entre os países vizinhos.

Contudo, o conflito entre Ucrânia e Rússia data de anos antes, sendo a anexação da região ucraniana da Crimeia o início dos desentendimentos entre os países.

E ao que aparenta, não se trata apenas de um conflito político-militar, mas também de uma guerra cibernética que envolve principalmente a Rússia.

De acordo com o relatório feito pela empresa de segurança cibernética Mandiant, hoje em posse do Google, os ataques cibernéticos aumentaram 300% em todo o mundo desde o início da guerra.

Guerra cibernética entre Ucrânia e Rússia

O relatório que a empresa de segurança disponibilizou apresenta que, somente contra a Ucrânia, os ataques cibernéticos aumentaram 250% desde o início dos conflitos.

Também houve ataques direcionados à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Ela se entende como uma aliança militar construída ao fim da Guerra Fria, visando à defesa mútua dos seus países-membros. Inicialmente, a Otan fazia frente à antiga União Soviética, mas agora se apresenta como defesa a qualquer ataque externo.

De acordo com o relatório, os ataques a países-membros da Otan aumentaram cerca de 300% nos últimos meses. Ainda segundo a Mandiant, foram executados por hackers associados ao governo russo.

Além disso, a empresa indica que os ataques se direcionaram a mais de 150 organizações militares da Ucrânia, assim como a outras fontes cibernéticas do país. Portanto, são vistos como uma estratégia militar, bem como uma forma de enfraquecer o país ucraniano, que busca se defender dos ataques físicos e virtuais.

Para medida de comparação, a empresa demonstrou que, somente nos primeiros quatro meses de 2022, houve mais ataques aos sistemas ucranianos do que nos últimos oito anos antes do conflito político-militar.

Ainda segundo o relatório, a empresa investiga os ataques realizados principalmente por duas organizações, sendo elas Frozenlake e Pushcha, de origem bielorrussa.

De acordo com a Mandiant, o primeiro citado realizou ataques contra os membros da Otan. Por sua vez, o segundo fez ataques à Polônia e à Lituânia em período eleitoral.

Considerando as tentativas feitas pelo grupo bielorrusso, pode ser que o conflito se estenda para além dos dois países e da Otan. Isso pode indicar um possível cenário em que mais países se envolverão na disputa.

Copyright © Todos os direitos reservados. | Newsphere by AF themes.